Gre-Nal 413 antecipa a “Páscoa” e aponta lições para a temporada

Liturgia

O Gre-Nal 413 no Beira-Rio antecipou a Páscoa em 2018 tanto na liturgia religiosa, quanto no aspecto comercial. O Grêmio aplicou sonoro “chocolate” em pleno Beira-Rio nos primeiros 45 minutos. Na segunda etapa, a mudança de atitude do Inter foi fundamental para a “ressurreição” da equipe. É fundamental, porém, que a dupla saiba identificar as lições do clássico para o restante da temporada. De preferência dentro da lógica do futebol além do resultado!

Primeiro tempo

O Grêmio levou o favoritismo para dentro do gramado do Beira-Rio trocando passes, controlando o jogo, ditando as ações pela região central, sobretudo com Luan, e colhendo os frutos no lado esquerdo de ataque. A atuação do primeiro tempo foi tão soberba que bastou a equipe jogar apenas 45 minutos para garantir a vitória. Isso que o tricolor jogou quase com 10, já que Jael novamente trouxe a tona a sua reconhecida limitação técnica. Mesmo assim Renato acertou em escalar o camisa 9, já que o time reeditou o desenho campeão da América. Tomara que o centroavante André seja contratado. Pra ontem!

Alerta azul

Futebol não é apenas imposição técnica. O Grêmio “não voltou do vestiário” e abusou do direito de “saber sofrer” na segunda etapa. Detalhe: contra uma equipe reconhecidamente inferior. Faltou maior poder de entrega e de inconformidade aos azuis. As substituições de Renato também ajudaram com a postura. O Grêmio terminou a partida com quatro volantes e dois laterais-esquerdos. Alerta para a temporada, sobretudo nos jogos aguerridos da Libertadores: apenas qualidade técnica não é o bastante!

Segundo tempo

O novato Odair Hellmann explicou a reação do segundo tempo pela mudança do 4-2-3-1 para o 4-1-4-1. Calma lá! A principal mutação colorada, ontem, ocorreu pela atitude e pela obviedade: com Edenílson na vaga de Dudu na lateral-direita o colorado voltou a ter 11 em campo. Com Gabriel Dias, o meio-campo ganhou mais robustez, liberando D’Alessandro ― que aliás ficou devendo ― e Nico López para jogar. Em tempo: futebol nunca foi um ato de justiça. Fosse ao contrário, creio que um empate teria traduzido melhor o que foi a partida!

Obviedade rasgada

Humildemente, nós avisamos antes do jogo: Dudu na lateral-direita e Nico na extrema deixariam o setor vulnerável, justamente pelo ímpeto de Éverton e pelo apoio de Cortez. Foi justamente neste setor que o Grêmio construiu o 2 a 0 e só não ampliou por detalhe, com o próprio Éverton ― No Grêmio existe Ramiro, que acaba camuflando a limitação defensiva do lateral Madson. Antes da partida sugerimos uma mudança no Inter para o 4-4-2 losango pra garantir mais equilíbrio ao time. Odair insistiu com o 4-2-3-1 e por pouco não comprometeu seu futuro no Beira-Rio. Alerta colorado para a temporada: tática é fundamental, mas a “regra 1” do futebol continua sendo: escalar os melhores, sempre!!!

Renato e Odair

Esperava mais dos treinadores, principalmente porque futebol é o exercício do ataque e defesa durante, no mínimo, 90 minutos. Odair é um entusiasta da tática, entende e fala muito bem sobre o tema. Faltou colocar a teoria na prática no primeiro tempo. Em relação a Renato, faltou ao treinador colocar consagrar a sua reconhecida fama de “homem de vestiário”. O Grêmio pecou pela falta de sangue! Mais do que isso: Renato abdicou muito cedo de jogar.

Dinheiro rasgado

É inadmissível a dupla Gre-Nal receber R$ 12 milhões da televisão e se classificar em sexto e terceiro, respectivamente. Neste quesito, novos clássicos já nas quartas-de-final será um merecido castigo! O leitor, amigo e advogado, Valerio Santa Helena Cordeiro sugeriu mais ou menos assim: “A cota deveria ser paga jogo a jogo. Quando escalar reservas, o valor deveria ser reduzido pela metade”, disse. Bela alternativa!!!! Ademais, cumprimentos ao Brasil de Pelotas e ao Caxias que ficaram na frente dos “milionários” azuis e vermelhos.

Favoritismo

Nas quarta-de-final o Grêmio novamente é favorito, principalmente, porque em dois jogos é muito difícil a qualidade não sobrepor-se a vontade. Todavia, o Inter mostrou na segunda etapa que mesmo sendo Tri da América, Bi da Recopa e Penta da Copa do Brasil, o Grêmio é perfeitamente vencível, principalmente na bola parada!

Reforços

Detalhe: talvez Arthur pelo lado azul e Damião e Pottker pela metade alvirrubra sejam reforços para os próximos clássicos. Tomara! O bom futebol agradecerá!!!

 

Fotos: Lucas Uebel/ Grêmio oficial e Ricardo Duarte / Internacional oficial

1 Comentário

  1. Paulo da Silva 12 de março de 2018 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *