Grêmio e as lições do Vexame Regional

Vexatório

É inadmissível um time da grandeza do Grêmio ficar sete anos sem conquistar o  Gauchão que, em regra, é disputado apenas por dois favoritos. Em 2017 o vexame se torna ainda maior pelo fato do rival estar na segunda divisão e, mesmo assim, ter conseguido lugar na decisão. Agora são dois anos em que o tricolor não consegue, sequer, chegar à final. Em matéria de campeonato regional, o Grêmio redefiniu o conceito de Vexame Futebol Clube.

Lições

O desafio de Renato é fazer do limão uma limonada visando o restante da temporada, sobretudo, com vistas à Libertadores. Há tempos esse espaço alerta para a necessidade de a equipe se reinventar e não se acomodar pela recente conquista da Copa do Brasil. A equipe até conseguiu encaixar relativamente, mas ancorada nas individualidades, principalmente, graças a intensa movimentação de Luan e Bolaños na região central. Mas não é o bastante. O Grêmio é taticamente previsível desde o final da Era Roger. Mãos à obra, Renato!

Resumo da ópera

Em três oportunidades o Grêmio não conseguiu superar o Novo Hamburgo, o que ilustra os méritos da classificação do time de Beto Campos.

Sem desculpas

gremio capaaaaaaaaa

Se no passado recente a direção gremista e grande parte torcida justificavam os fracassos no Gauchão com desdém, neste ano será preciso criatividade. Principalmente após o Grêmio ter escalado reservas na última semana pela Libertadores.

Legado

miller

Não é possível fazer sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes! Acertou Renato ao colocar Barrios no segundo tempo, recuando Léo Moura para a lateral-direita. O centroavante não apenas marcou o gol, como fez sua melhor jornada até agora. Esse é o ‘pulo do gato’ para o futuro. Acomodar Barrios, Luan e Bolanõs no mesmo time. Como? Por que não um tripé de volantes com Maicon, Ramiro e Artur, dispostos numa espécie de 4-4-2 losango? No ataque, Barrios na referência, com Luan e Miller Bolaños mais recuados e se revezando nas tarefas de recomposição?

Licença poética

Time grande e que disputa a Série A não tem muito tempo para lamber feridas. É preciso saber o porquê perdeu e corrigir os equívocos, mas nada de ‘derrotismo’. Quinta-feira já tem Libertadores da América. Boa sorte à nação de três cores!!!

 Foto: Lucas Uebel/Grêmio oficial

1 Comentário

  1. José Ramires 25 de abril de 2017 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *