Inter e o legado ‘invisível’ da Copa do Brasil

Classificação

Os maiores legados da classificação do Inter, nos pênaltis, contra o Corinthians, na Arena dos paulistas, estão fora de campo. São os fatores mental, psicológico, motivacional, anímico. Em que pesem a inegável evolução tática, disposta no 4-4-2 losango, e as contratações pontuais que elevaram as ações da equipe, a grande notícia para os vermelhos, repetimos, é que o time parece ter sepultado a fatídica temporada de 2016. Aconteça o que acontecer, em 2017 o Inter está sendo um time com ‘sangues nos olhos’ e inconformado frente às dificuldades.

Personagem

O goleiro Marcelo Lomba foi a grande figura nas duas partidas. No Beira-Rio impediu a derrota e ontem repetiu a dose em conclusão do centroavante Jô, no segundo tempo. Nas cobranças de pênaltis, coroou o momento de excelência, ao defender duas cobranças. Méritos também ao preparador de arqueiros do colorado, Daniel Pavan.

lomba capapaapa

Sorte x destino

Com a lesão de Roberson, logo no início, Zago mandou a campo Valdívia. Embora não seja armador, o camisa 29 reteve bola, participou das ações ofensivas, contribuiu muito mais que Roberson faria na recomposição e ainda foi o dono da melhor cobrança de pênalti na noite. Ainda está longe daquele jogador de 2015, mas mesmo assim, é superior a Roberson. Outra sorte de Zago: Anselmo como segundo volante foi mal, mas não comprometeu. Charles deveria ter jogado à direita. Primeiro porque é melhor que Anselmo. Segundo porque tem características que se encaixam melhor à função.

Copa de 2018

Se continuar a jogar o que vem jogando, Nico López é candidatíssimo a fazer trio com Cavani e Suárez na Copa da Rússia em 2018. O camisa 7 vem retomando o mesmo futebol que fez dele um dos maiores destaques da última Libertadores. Ademais, a celeste é carente de opções ofensivas no grupo, fora a dupla de goleadores citada. Diego Rolán, Stuani e Abel Hernandez normalmente são convocados por Oscar Tabárez e deixam muito a desejar.

Licença poética

a) Ainda bem que foi o Léo Ortiz que perdeu o pênalti. Ele é jovem, vai evoluir. Ufa! Imaginem se fosse o Paulão.

b) Acho que D’Alessandro foi poupado contra o Corinthians. Se fosse uma decisão com “d” maiúsculo talvez o camisa 10 fosse ao campo. Não é informação, é SENTIMENTO!

c) Ano passado o Palmeiras escalou time misto contra o Grêmio na segunda partida das quarta-de-final, da Copa do Brasil, em São Paulo. Será que o Inter terá a mesma ‘sorte’???

 

Fotos: Internacional oficial/ Ricardo Duarte

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *