Grêmio de Renato e a corrida contra o relógio

Fim do legado

O legado de Roger Machado não duraria a eternidade. Mãos à obra, Renato! É claro que a série de lesões e a venda Walace descaracterizaram a equipe campeã da Copa do Brasil 2016, entretanto, o treinador é pago para corrigir os equívocos, criar alternativas, testar, e ampliar o repertório a fim de amenizar as dificuldades e retomar o bom futebol, consagrando o principal mantra da equipe nas últimas duas temporadas. Mais do que nunca chegou a hora de Renato consagrar-se como treinador de ponta. Ainda falta no currículo do ex-camisa 7 um trabalho consistente começado praticamente do zero. O desafio está lançado.

Resumo da ópera

Até o momento, Renato insiste como quem ‘dá murro em ponta de faca’ na mesmíssima dinâmica disposta no 4-2-3-1 e suas tradicionais variações. A única mudança permitida pelo treinador é: jogar com um homem de referência ― Lucas Barrios ― ou manter a formatação com um falso 9, com Luan mais à frente. É pouco!

Alternativas

gata

Ao contrário da Era Roger, hoje existem opções mais qualificadas no elenco e no banco de reservas para potencializar as ações coletivas do time, sobretudo nos setores de criação e ofensivo. Entretanto, Renato está esbarrando o conservadorismo tático. Existe vida inteligente e competitiva fora do 4-2-3-1. Por que não começar ensaiando uma dinâmica de meio com Michel, Jaílson e Ramiro? Um losango com Gata Fernandéz ou Lincoln fechando o setor? Desta feita liberando os homens de frente?  Ou então iniciar o jogo com Ramiro como volante, promovendo o ingresso de mais um meia?

Posição x função

barrios ver

Mesmo que insista no 4-2-3-1, Renato pode e deve mexer suas peças. Nada de Ramiro passar 90 minutos à direita, Luan ao centro e Pedro Rocha à esquerda. A movimentação é fundamental para bagunçar a defesa e criar espaços para as infiltrações. Principalmente se o time jogar com um centroavante clássico como Barrios. No segundo tempo contra o Veranópolis o time cresceu de produção justamente por atender a esse quesito, sendo liderado pela qualidade do passe de Lincoln e pela movimentação de Luan.

Figurinhas

cortez treino

Futebol requer tempo e o time está com muitos desfalques, o que acaba justificando um pouco das dificuldades de Renato. Todavia, existem outras posturas do comandante que são injustificáveis. A primeira delas é a ‘cadeira cativa’ do hoje capitão Marcelo Oliveira. Bruno Cortez precisa receber chances e ganhar sequência visando a Libertadores. Com o ex-jogador do Botafogo, o Grêmio poderia corrigir a falta de força ofensiva à esquerda, repetindo o que ocorre no lado oposto com Léo Moura e Ramiro. A outra é a insistência com Jaílson entre os titulares. A substituição do camisa 25 por ‘insuficiência técnica’ no intervalo ou no segundo tempo virou regra pelas bandas da Humaitá.

Contratações

renato relogio

A direção está brincando com fogo. Ano passado por ausência de opções Roger obrigou-se a escalar a defesa do Grêmio com Fred e Bressan contra o Rosário Central na Arena, lembram? Neste ano, Renato está sendo obrigado a escalar uma meia-cancha que começa com Michel e Jaílson. Perigo à vista. A contratação de um camisa 5 urge como questão de sobrevivência. Para ontem! Em caráter irrevogável e intransferível.

Quarta posição

luan ver

Desde o início do ano Luan já atuou como falso nove, como extrema esquerda e no último final de semana iniciou o jogo como clássico camisa 10 centralizado. Fracassou em todas. No segundo tempo, porém, quando migrou para o flanco direito, o camisa 7 cresceu de rendimento ― talvez beneficiado pelo cartão amarelo recebido pelo lateral-esquerdo do Veranópolis, Jadson ― coroando a boa atuação na segunda etapa como um belíssimo gol. Entretanto, o principal upgrade do meia ocorreu no fator anímico: Luan começou a segunda etapa mais ligado, movediço, chamando jogo, pedindo bola. Esse é o caminho! Qualidade técnica isolada jamais foi e jamais será suficiente para praticar o esporte bretão. Sangue nas veias e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

 

Fotos: Grêmio oficial/Lucas Uebel

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *